Arquivo do mês: fevereiro 2012

Educação ruim hoje, subemprego amanhã

A educação pública de qualidade é fundamental para a igualdade de oportunidades, ou seja, para que todos tenham o mesmo ponto de partida na disputa de vagas no mercado de trabalho.

É verdade que esta é uma visão restrita do papel da educação, a qual não pode se resumir ao treinamento para o trabalho. Porém, é inegável que um jovem com baixa escolaridade tem menos chance de se inserir no mercado formal de trabalho e/ou de ocupar vagas de maior remuneração.

O relatório de acompanhamento das metas do movimento Todos pela Educação revelou um cenário preocupante para o futuro dos jovens da Baixada Santista, conforme noticiou o jornal A Tribuna. http://www.atribuna.com.br/noticias.asp?idnoticia=135951&idDepartamento=5&idCategoria=0

O dado mais estarrecedor mostrado pelo levantamento é: menos de 10% dos alunos da rede pública (estadual e municipal) do 9º ano aprenderam o que deveriam em Matemática, sendo que todos os municípios da região ficaram abaixo da média nacional neste nível de ensino (14,8%).

Ainda que Santos tenha obtido os maiores percentuais da região, todos os resultados foram abaixo da média estadual, conforme gráfico acima. Em entrevista ao jornal A Tribuna, a diretora executiva do movimento Todos pela Educação, Priscila Cruz afirma que “Santos é uma cidade rica, com uma arrecadação de impostos altíssima, tem recursos para colocar na Educação. Não deveria ter uma aprendizagem tão baixa, é totalmente inadmissível”. Perfeito diagnóstico!

Com o baixo nível da educação pública de Santos e região, gerações de jovens vêm sendo condenadas ao subemprego e, certamente, serão excluídas das oportunidades geradas pelo crescimento econômico.

Consolidei os resultados para todos os municípios da Baixada Santista, confira aqui:  metasRMBS_todospelaeducação2009

Triste realidade!

Anúncios

Artigo Porto de Santos

Celebrando o aniversário de 120 anos do Porto de Santos, disponibilizo aqui um artigo meu junto com o economista e meu ex-orientando Felipe Melo, publicado na Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política – SEP,  n. 30, de outubro de 2011.

Produtividade, Empregos e Salários no Porto de Santos após a Lei de Modernização Portuária

Daniel Arias Vazquez

Felipe Melo Assunção

Resumo: A reestruturação produtiva do setor portuário após a Lei de Modernização Portuária propiciou uma forte elevação da produtividade, a introdução de inovações tecnológicas e o alcance de níveis recordes de movimentação de cargas. Em contrapartida, o processo de privatização trouxe mudanças profundas nas relações de trabalho no maior porto da América Latina. Os resultados mostram que os efeitos deletérios da tecnologia sobre o nível de emprego foram compensados pela forte expansão da atividade portuária. Porém, os ganhos de produtividade não foram apropriados pelos trabalhadores, os quais tiveram significativas perdas salariais no período analisado (1996-2006).

O artigo está disponível aqui: Vazquez&Assuncao_REPn30_2011